Luteranos organizam evento para comemoração dos 500 anos da Reforma Protestante

Luteranos organizam evento para comemoração dos 500 anos da Reforma Protestante
Uma comissão formada por integrantes da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), em Domingos Martins e Marechal Floriano, vem se reunindo nas últimas semanas para discutir os preparativos do culto comemorativo dos 500 anos da Reforma Luterana.

A programação será realizada no dia 31 de outubro, na Praça Dr. Arthur Gerhardt, em Campinho, Domingos Martins, e terá inicio às 14 horas. São esperados cerca de seis mil participantes no culto, o qual deverá contar ainda com várias autoridades do Estado e dos municípios vizinhos.

Os integrantes da comissão organizadora se dividiram em subcomissões e estão trabalhando na organização do grande evento que está há pouco menos de 100 dias da data que será comemorada em várias partes do mundo.

Desde 2011 vêm sendo realizadas diversas atividades em todo o país, que culminarão em vários eventos simultaneamente em outubro de 2017. Em nível nacional, a IECLB e IELB formaram um grupo de trabalho denominado Comissão dos 500 Anos da Reforma Luterana, responsável, entre outras tarefas, por criar e acompanhar o desenvolvimento de materiais de apoio, bem como incentivar as comunidades locais a desenvolverem atividades em comemoração ao quincentenário da Reforma.

As duas denominações, em Domingos Martins e Marechal Floriano, estão desde 2016 realizando atividades, numa contagem regressiva; e a cada 100 dias vêm organizando programações especiais.

A data também será marcada na região com a construção de um marco alusivo aos 500 anos da Reforma Luterana. A estrutura será erguida na praça Dr. Arthur Gerhardt, em Domingos Martins.

Reforma Luterana

A Reforma Luterana teve origem na cidade de Wittenberg, na Alemanha. O marco do movimento foi 31 de outubro de 1517, quando Lutero, então monge católico, publicou 95 teses, em Alemão, na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, em protesto contra diversos pontos da doutrina da Igreja, sugerindo mudanças.

Nas 95 teses, a exemplo de outros escritos divulgados na mesma época, Lutero procurou mostrar que Deus perdoa de graça a quem crê em Jesus Cristo. Não se pode comprar o perdão de Deus ou conquistá-lo por méritos ou esforços próprios.

Segundo Lutero, Deus nos aceita como pessoas justas somente quando cremos e confiamos em Jesus Cristo. Recebemos a salvação pela fé e não pelas boas obras que praticamos. Esta fé leva espontaneamente a produzir boas ações, assim como a árvore saudável produz bons frutos.

A atitude do monge repercutiu. Solicitado a se retratar, Lutero não concordou em fazê-lo, a não ser que as suas teses fossem derrubadas com argumentos bíblicos. Então, Lutero foi expulso da Igreja. Como uma das consequências, ocorreu a divisão da Igreja, sem ser esta a pretensão do Reformador. O movimento ultrapassou fronteiras e se estendeu a outros países da Europa, chegando ao Brasil em 1824, com a imigração alemã.

No Espírito Santo, os primeiros luteranos chegaram em Vitória em dezembro de 1846, vindos da Alemanha, se instalando em janeiro de 1847 na Colônia de Santa Isabel, atualmente município de Domingos Martins, ajudando a formar a primeira colônia alemã no Espírito Santo.

Atualmente, são cerca de 87.200 luteranos existentes em todo o Estado do Espírito Santo. Mais de 16 mil luteranos somente nos municípios de Domingos Martins e Marechal Floriano.